Tudo começou em 1986 aquando da visita pastoral do Sr. Bispo Auxiliar do Porto D. José Augusto Pedreira. O então grupo coral que o recebeu e calorosamente embelezou a sua celebração litúrgica foi, pelo Sr. Bispo, muito elogiado e incentivado a germinar. As suas Bênçãos deram então origem ao nascimento do Orfeão de Eiriz a 4 de Julho de 1987, reconhecido e devidamente autorizado pelo Paço Episcopal.

A 4 de Novembro de 1987 foi fundada a associação Orfeão de Eiriz sediado na Freguesia de Eiriz – uma das 16 Freguesias do Concelho de Paços de Ferreira, (conhecido como “Capital do Móvel”). Desde tempos imemoriais que as gentes de Eiriz demonstraram uma excecional aptidão para o canto e para a música. Trata-se de uma freguesia com tradições seculares na música. Talvez a ruralidade do passado ajudasse a desenvolver tão boas vozes. Durante os anos 60, havia muitos filhos da terra espalhados pelas diversas bandas filarmónicas da região, que davam para formar uma banda filarmónica. Este modo de ser tão natural, como o verde da Várzea e o monte de S. Gonçalo, tornou Eiriz conhecida como a “Aldeia da Música”.

Em 1988 fez a sua primeira gravação em estúdio de uma cassete intitulada “Às nossas mães” gravada pela empresa Percantex.

As crescentes solicitações para o grupo cantar, foram deixando no ar a frescura e a leveza de um excelente timbre musical. Cedo a população verificou que o grupo possuía qualidade e os convites para cantar com outros Coros e Orfeões não se fizeram esperar. O Orfeão de Eiriz já levou as suas músicas aos quatro cantos de Portugal. Desde atuações no concelho, em Golegã, Viseu, Águeda, Rio Tinto, Vila Nova de Gaia, Aveiro, Amarante, Marco de Canaveses, Vila do Conde, Porto, entre outros. Também participou em concertos em Espanha, nomeadamente em Vigo, Pontevedra e Corunha.

O Orfeão já atuou em programas de entretenimento televisivo e em cerimónias religiosas transmitidas em direto, quer pela televisão, quer pela rádio.

Possui um variado repertório do qual faz parte quer música litúrgica bem como música profana.

As solenidades Litúrgicas foram-se sucedendo, estando o grupo devidamente autorizado pelo Sr. Bispo da Diocese do Porto para cantar em alturas festivas, como por exemplo casamentos.

No que respeita à parte profana o Orfeão possui um variado repertório de música polifónica e clássica e pelas suas características e tradições rurais vivas, integra também cantares populares.

Em 1997 integrou uma série de gravações que deram origem a um CD lançado pela editora Public-Art, intitulado “Os Melhores Coros da Região Norte”.

No dia 30 de Junho de 2001, tiveram finalmente a inauguração da tão desejada Sede oferecida pela Junta de Freguesia de Eiriz.

No dia 6 de Julho de 2012, aquando das comemorações dos 25 anos da sua fundação, recebeu da Câmara Municipal de Paços de Ferreira a Medalha de Prata de Altruísmo e Mérito.

Em 2017 gravou o seu primeiro CD, lançado pela editora Afinaudio, intitulado “ Eiriz – Aldeia da Música”, o qual foi apresentado à comunidade e à comunicação social em 23 de Março de 2018.

No dia 6 de novembro de 2018 recebeu da Câmara Municipal de Paços de Ferreira a Medalha Municipal de Altruísmo e Mérito, Grau Ouro.

Um dos objetivos do grupo é o intercâmbio com outros grupos que têm o mesmo propósito – cimentar a Alegria e consolidar o Amor através da Música. Pois a música é a chave de ouro da felicidade. Já dizia Santo Agostinho: “Cantar é próprio de quem ama”.

Reinaldo Campos

Reinaldo da Silva Campos, músico e maestro do Orfeão de Eiriz – Medalha Municipal de Altruísmo e Mérito.

Iniciou os estudos musicais aos 10 anos com o Professor Albano Neto. Aos 11 anos entrou como executante na Banda Marcial de Paços de Ferreira, onde permaneceu durante vários anos, tocando “Cornetim”. Além da participação em filarmónicas, aproveitou a passagem pela instituição militar onde, além de músico, concluiu os cursos de harmonia, de instrumentação, de acústica, de direção de bandas, de técnica vocal e de direção de coros. Como executante domina os seguintes instrumentos musicais: o fliscorne, o cornetim, o trompete e o eufónio. Possui carteira profissional de trompete, com averbamento de regente de bandas e coros.