O Coro da Câmara Ainur foi originalmente fundado em 1991, numa época em que um movimento coral estava ocorrendo nas Ilhas Canárias. O trabalho do coro foi interrompido por vários anos durante a formação académica de seus membros, bem como durante sua participação em diferentes projetos musicais. A actual formação tem sido constante desde 2006. O seu repertório oferece uma variedade de estilos de grande dificuldade e riqueza cromática, e tenta tirar partido das circunstâncias culturais e geográficas que fazem das Canárias únicas.

Uma característica marcante do grupo é a sua vontade de inovar dentro da música coral. A sua versatilidade e a variedade de repertório que enfrentam podem ser vistas nos diferentes projetos em que participaram. Os sucessos nas competições nacionais em que foram selecionados culminaram na obtenção do Grande Prémio Nacional de Canto Coral em 2012 e 2018, dois prémios em suas respetivas seções: Polifonia e Folclore. As avaliações dos diferentes júris têm em comum a elegância com que executam os diferentes estilos e qualidade vocal.

O Coro da Câmara Ainur tem ocasionalmente a colaboração de maestros convidados para enfrentar os diferentes repertórios

Alguns exemplos da atividade passada do coro são os seguintes:

● Ganhou o Grande Prémio Nacional de Canto Coral, e as duas categorias: Polifonia e Folclore, em Santander, dezembro de 2012 e Burgos em outubro de 2018.

● Primeiro Prémio em um concurso especial de 50 edições de San Vicente de la Barquera, julho de 2017

● Primeiro Prémio e Prémio Público no Concurso Nacional António José, Burgos, outubro de 2015

● Primeiro prémio no 34º Concurso Coral “Fira de Tots Sants” de Cocentaina (Alicante) em 2014

● Medalha de ouro na categoria Jazz e 4 medalhas de prata na Competição Internacional Seghizzi (Gorizia – Itália), 5º lugar na pontuação geral. Julho de 2013

● Primeiro Prémio e Prémio do Público no prestigiado concurso de San Vicente de la Barquera, julho de 2011

● Segundo Prémio na Categoria Folk e Terceiro Prémio na Categoria Polifonia no Concurso A Capella, Navarra, em março de 2011

● Primeiro Prémio no Concurso Nacional de Canções de Embalar em Rojales, Alicante, em dezembro de 2010.

● Segundo Prémio no Festival de Coros de Ejea de los Caballeros, Zaragoza, em abril de 2010.

Por último, algumas palavras sobre a nossa terra. As Ilhas Canárias são uma encruzilhada tricontinental, é por isso que os coros das Canárias assimilam o folclore sul-americano com naturalidade, misturam-se com o seu folclore de uma forma habitual, o legado europeu e a proximidade do continente africano marcam um repertório muito peculiar com a América no coração.

Mariola Rodríguez Suárez

Mariola Rodríguez Suárez (1975) tem sido maestrina do coro desde a sua fundação, em 1991.Tem uma licenciatura em piano do Conservatório de Las Palmas de Gran Canaria, e também uma licenciatura em canto profissional da mesma instituição.Além disso, ela é formada em História e Ciência da Música da Universidade de Salamanca. A sua experiência coral é vasta. Tem feito parte de numerosos grupos, tanto dentro como fora das Ilhas Canárias. Trabalhou como assistente de muitos maestros. Especializou-se em música antiga pela mão de Isabel Álvarez Azcune. É diretora artística do Canarian Music Week Festival e com o coro ganhou inúmeros prémios como o Grand Prix Nacional na Espanha, em 2012 e 2018.